Edição Online
Sexta-feira, 23 Outubro 2020

Carla Madeira

Carla Madeira formou-se em medicina veterinária mas desde muito cedo se deslumbrou com o universo jornalístico. Na escola primária fundou a “Gazeta dos Verdes Anos” – primeira publicação periódica de que há registo na comunidade escolar do ensino básico em Portugal – a qual imprimia às escondidas no escritório onde a sua mãe trabalhava. Anos mais tarde a mãe descobriu e proibiu a filha de continuar com a sua redacção jornalística, alegando que os jornalistas são todos uns mentirosos, e forçando-a a optar por uma licenciatura em veterinária dado que a filha sempre evidenciou uma grande dedicação pelos seus diversos animais de estimação: 27 gatos, 19 coelhos, 14 cães, 11 tartarugas e 5 pavões.

Após terminar a licenciatura, Carla decidiu viajar e conhecer todos os recantos do mundo e foi nesses meses de viagem e introspecção que voltou à escrita jornalística, produzindo reportagens acerca dos lugares e culturas que foi visitando e vendendo-as a grandes jornais de prestígio de diversos países, assinando sob um pseudónimo de modo a assegurar que a mãe não descobriria o seu regresso ao jornalismo.

Actualmente, e dada a sua frenética actividade profissional, Carla Madeira já só tem tempo para cuidar de um casal de linces que foi buscar ao Centro de Reprodução do Lince-Ibérico. Como forma de angariar os exigentes meios financeiros para tratar dos linces – nos quais residem a esperança de manutenção desta espécie em extinção – Carla recebe em sua casa visitantes que queiram interagir com os felinos. Estas visitas exigem marcação prévia e o custo está indexado ao escalão de IRS do visitante.

Artigos: